Fifa confirma Equador na Copa do Mundo

Redação Central, 16 set (EFE).- O Comitê de Apelação da Fifa rejeitou nesta sexta-feira recursos apresentados pelas federações de futebol de Chile e Peru contra a do Equador por uma suposta convocação indevida do jogador Byron Castillo nas Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo do Qatar 2022 e ratificou a participação da seleção equatoriana no torneio.

«Com base na documentação recebida, entre outras considerações, foi considerado que o jogador deve ser considerado possuidor de nacionalidade equatoriana permanente, de acordo com o artigo 5, parágrafo 1 do Regulamento de Aplicação dos Estatutos da Fifa», disse o Comitê.


A decisão, porém, «está sujeita a recurso perante a Corte Arbitral do Esporte (CAS)», conforme ressaltou a entidade.
Após audiência realizada ontem em Zurique, na Suíça, o órgão da Fifa manteve a posição do Comitê Disciplinar, que em junho rejeitou a denúncia de suposto convocação indevida de Castillo em oito jogos das Eliminatórias devido a uma suposta utilização de documentos falsos para que ele fosse registrado como equatoriano.

Os argumentos do Chile


A federação chilena de futebol argumenta que o jogador nasceu em Tumaco, na Colômbia, em 25 de junho de 1995, com o nome Byron Javier Castillo Segura, de acordo com uma certidão de nascimento com esses detalhes, em vez de Byron David Castillo Segura, nascido em 10 de novembro de 1998, como aparece no registro civil equatoriano.
Em comunicado, a Fifa confirmou que «após analisar a documentação recebida das partes e realizar a audiência correspondente, o Comitê de Apelação ratificou a decisão do Comitê Disciplinar de encerrar a investigação do caso iniciado contra a Federação Equatoriana (FEF)».


Dúvidas sobre a origem de Castillo, lateral direito do León, do México, estão presentes no Equador desde que ele começou a carreira, mas foram resolvidas em 2021 quando um juiz validou toda a sua documentação equatoriana.
A partir de então, o jogador foi chamado pelo Equador para oito partidas das Eliminatórias, incluindo as duas contra o Chile que seriam fundamentais para as chances de ‘La Roja’ ir à Copa no Qatar caso a Fifa decidisse sancionar o Equador com a perda de pontos.
O Comitê Disciplinar, primeiro a analisar a questão na Fifa, decidiu em junho que era «obrigado a levar em consideração e respeitar as decisões dos tribunais estatais nacionais (assim como as leis nacionais) em relação à identidade ou nacionalidade das pessoas».
O Equador estará no grupo A da Copa do Mundo no Qatar, junto com a seleção anfitriã, o Senegal e a Holanda.