Argentina bate Holanda nos pênaltis e vai encarar Croácia, algoz do Brasil

Lusail (EFE).- Em duelo dramático no tempo regulamentar e na prorrogação, a Argentina venceu a Holanda nos pênaltis após empate em 2 a 2 com bola rolando no estádio Lusail e se classificou nesta sexta-feira para as semifinais da Copa do Mundo no Qatar.

A Argentina voltará ao mesmo estádio na próxima terça-feira, às 16h (de Brasília), para disputar uma vaga na decisão com a Croácia, que hoje eliminou o Brasil ao levar a melhor também nos pênaltis após empate em 1 a 1 selado na prorrogação.

Destaque da ‘Albiceleste’ na partida contra a Holanda com um gol de pênalti e uma assistência, o craque Lionel Messi passou a dividir com Gabriel Batistuta o posto de maior artilheiro da seleção argentina em Copas do Mundo, com dez gols marcados. Além disso, igualou a marca do alemão Miroslav Klose ao se tornar o segundo jogador com mais partidas em mundiais, 24, apenas uma a menos que outro germânico, Lothar Matthäus.

O placar no estádio Lusail foi aberto aos 34 minutos do primeiro tempo, quando Messi costurou a marcação e deu um passe primoroso para Molina, que dominou na área e tocou na saída de Noppert. A seleção sul-americana ampliou a vantagem aos 27 da segunda etapa, após Dumfries derrubar Acuña na área. O camisa 10 argentino bateu a penalidade no canto do goleiro, que ficou parado.

Do lado holandês, Wout Weghorst, que já havia chamado atenção no banco de reservas ao receber cartão amarelo por reclamação no primeiro tempo, também atraiu os holofotes em campo na etapa final. O atacante entrou no lugar de Memphis Depay e mudou o jogo ao descontar aos 37 minutos, em cabeceio na primeira trave, e aos 55, após Berghuis cobrar falta na entrada da área com um leve toque para o camisa 19 chutar cruzado e empatar o duelo no último lance do tempo regulamentar.

Oportunidades na prorrogação

A equipe treinada por Lionel Scaloni chegou mais perto de vencer na prorrogação ao levar muito perigo em dois chutes de Enzo Fernández, um na trave e outro que desviou na zaga e acabou passando por cima do travessão, e em bomba disparada por Lautaro Martínez, que exigiu grande defesa de Noppert.

Nas penalidades, Messi, Paredes e Montiel e Lautaro Martínez converteram para a Argentina, enquanto Enzo Fernández chutou para fora. A Holanda balançou as redes com Koopmeiners, Weghorst e Luuk de Jong, mas Emiliano Martínez pegou as batidas de Van Dijk e Berghuis.

Esta foi a sexta vez que Argentina e Holanda se enfrentaram no torneio. Agora, o duelo está empatado com duas vitórias para cada lado – o primeiro triunfo argentino foi na final da Copa de 1978 – e dois empate.

Com a derrota nas penalidades, a Holanda se despede do torneio nas quartas de final pela segunda vez na história. A primeira eliminação nesta fase ocorreu em 1994, quando perdeu de 3 a 2 para o Brasil.

Ficha técnica

Holanda: Noppert; Timber, Van Dijk e Aké; Dumfries, De Roon (Koopmeiners), Frenkie de Jong, Gakpo (Lang) e Blind (Luuk de Jong); Bergwijn (Berghuis) e Memphis Depay (Weghorst). Técnico: Louis van Gaal.

Argentina: Emiliano Martínez; Cristian Romero (Pezzella), Otamendi e Lisandro Martínez (Di María); Molina (Montiel), Enzo Fernández, De Paul (Paredes), Mac Allister e Acuña (Tagliafico); Messi e Julián Álvarez (Lautaro Martínez). Técnico: Lionel Scaloni.

Árbitro: Mateu Lahoz (ESP), auxiliado por Pau Devis (ESP) e Roberto Díaz (ESP).

Gols: Weghorst (2) (HOL); Molina e Messi (ARG). Nos pênaltis: Koopmeiners, Weghorst e Luuk de Jong (HOL); Messi, Paredes, Montiel e Lautaro Martínez (ARG).

Cartões amarelos: Timber, Van Dijk, Bergwijn, Berghuis, Memphis Depay, Lang e Weghorst (HOL); Cristian Romero, Pezzella, Otamendi, Lisandro Martínez, Paredes, Acuña, Messi e Montiel (ARG).

Estádio: Lusail, em Lusail. EFE