Com reservas, Brasil pega Camarões e vai atrás da 3ª vitória na Copa

Doha (EFE).- A seleção brasileira, classificada às oitavas de final por antecipação e com o primeiro lugar do grupo G quase garantido, enfrentará nesta sexta-feira Camarões com muitos reservas em campo e a missão de buscar a terceira vitória na Copa do Mundo.

Depois de passar pela Sérvia por 2 a 0 e pela Suíça por 1 a 0, os pentacampeões mundiais garantiram matematicamente a vaga na próxima fase. A primeira posição pode vir até em caso de derrota na última rodada, desde que os suíços não derrotem os sérvios e tirem os três gols de saldo que os separam.

A situação confortável permitirá que o técnico Tite coloque em campo uma equipe formada por jogadores que ficaram no banco de reservas nos dois primeiros compromissos na Copa.

A única exceção deverá ser Eder Militão, que atuou contra a Suíça na lateral-direita, em substituição ao lesionado Danilo. O jogador do Real Madrid, contudo, voltará a jogar na posição de origem, como zagueiro.

Dessa forma, o controverso Daniel Alves será, não apenas titular, mas capitão dos pentacampeões, conforme Tite anunciou. O jogador do Pumas, do México, será o mais velho a defender o Brasil em Copas, superando Thiago Silva, que quebrou a marca contra os suíços.

Bremer e Alex Telles completam o sistema defensivo, postados a frente do goleiro Ederson. No meio, Fabinho está confirmado e Bruno Guimarães e Fred – que jogou contra a Suíça – disputam a outra vaga como volante

Rodrygo atuará na função de Neymar, que está vetado pelo departamento médico e ainda não tem escalação confirmada para o jogo das oitavas de final.

Na frente, Gabriel Martinelli começará jogando, e Gabriel Jesus e Pedro disputam um lugar como centroavante da seleção.

Camarões, por sua vez, entrará em campo com a obrigação de vencer o Brasil para seguir sonhando com a classificação. Ganhar os três pontos, contudo, não é garantia de vaga para os comandados pelo técnico e ex-zagueiro Rigobert Song.

Com um ponto, os Leões Indomáveis estão empatados com a Sérvia – levando ligeira vantagem no saldo de gols – e a dois pontos da Suíça.

Como, obrigatoriamente, uma das seleções europeias chegará a quatro pontos no duelo direto que farão, os camaroneses terão que se preocupar, caso vençam, com a diferença entre os gols marcados e os sofridos.

Como já aconteceu em Copas anteriores, a seleção que foi até as quartas de final em 1990, teve problemas internos ao longo do Mundial. Dessa vez, foi a briga do goleiro André Onana com o comandante da seleção.

O jogador da Inter de Milão acabou afastado da delegação, suspenso pela federação presidida por Samuel Eto’o e optou por deixar o Qatar. Dessa forma, Devis Epassy se tornou o titular da meta camaronesa.

A principal dúvida para o jogo é se Song optará por uma formação mais ofensiva, com a presença de Vincent Aboubakar, ou se o veterano atacante será guardado para o decorrer da partida, o que deu certo contra a Sérvia.

Na história, Brasil e Camarões já se enfrentaram em seis oportunidades, com cinco vitórias dos pentacampeões e uma dos camaroneses, na Copa das Confederações de 2003, jogo com que o atual técnico era capitão da seleção africana.

Em Copas do Mundo foram dois duelos, ambos com vitória verde e amarela, em 1994, por 3 a 0, e em 2014, por 2 a 0.

Prováveis escalações

Camarões: Epassy; Fai, Castelletto, Nkoulou  Tolo; Hongla, Anguissa e Kunde; Mbemo (ou Aboubakar) Choupo-Moting e Toko Ekambi. Técnico: Rigobert Song

Brasil: Ederson; Daniel Alves, Eder Militão, Bremer e Alex Telles; Fabinho, Bruno Guimarães (ou Fred), Rodrygo; Antony, Gabriel Jesus (ou Pedro) e Gabriel Martinelli. Técnico: Tite

Árbitro: Ismail Elfath (EUA), auxiliado por Kyle Atkins (EUA)
e Corey Parker (EUA)

Estádio: Lusail, em Lusail (Qatar). EFE