Conmebol quer trocar estrelas da camisa do Brasil em homenagem a Pelé

Santiago (EFE).- A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e a agência Mercado McCann lançaram uma campanha para substituir três das cinco estrelas da camisa da seleção brasileira por corações em homenagem a Pelé, falecido na quinta-feira, aos 82 anos, e à sua cidade natal.

“A nova camisa da seleção é uma forma muito bonita de homenagear Pelé, porque o escudo está no coração de todos”, explicou à Agência EFE Nicolás Goldstein, diretor-geral de criação da agência Mercado McCann.

Edson Arantes Do Nascimento nasceu em 23 de outubro de 1940 na cidade de Três Corações, em Minas Gerais.

A proposta dos três corações é uma “dupla homenagem”, segundo Goldstein: à carreira de Pelé e à cidade que o viu nascer.

Pelé conquistou os três primeiros títulos mundiais da seleção brasileira – 1958, 1962 e 1970 -, e nem clubes atuou por Santos e New York Cosmos, conquistando 48 títulos.

A ideia inicial da nova camisa com os três corações nasceu da colaboração entre a Conmebol e da Mercado McCann.

A ideia foi apresentada pelo presidente da Conmebol, o paraguaio Alejandro Domínguez, durante a Copa do Mundo do Qatar, com Pelé vivo.

Com a morte do Rei do Futebol, disse Goldstein, a homenagem na camisa ganha força: “É algo que gostaríamos de ver concretizado na realidade”, disse.

O diretor criativo do Mercado McCann, Denis Vivoda, disse que os três corações simbolizam a vida de um jogador histórico que nasceu em uma família humilde e conquistou o topo do futebol internacional.

“Pelé sempre levou os três corações onde quer que fosse, desde ter trabalhado como engraxate no Brasil até se tornar o rei do futebol mundial”, concluiu. EFE