DIS reduz pena de prisão pedida para Neymar e outros acusados em julgamento

Barcelona (EFE).- O fundo de investimento DIS, que é parte da acusação no julgamento que está sendo chamado de “Neymar 2”, reduziu nesta segunda-feira as penas solicitadas para o atacante brasileiro, o pai dele e os ex-presidentes do Barcelona Sandro Rosell e Josep Maria Bartomeu.

A empresa, que havia ficado só, depois que o Ministério Público retirou as acusações contra os envolvidos em supostos crimes referentes à transferência de Neymar do Santos para o Barcelona, pedia cinco anos de prisão para o jogador, Rosell e Bartomeu.

Nos relatórios finais que apresentou no julgamento na Audiência de Barcelona, o fundo DIS passou a solicitar 2 anos e seis meses de prisão para Neymar e Bartomeu, além de quatro anos para o pai do atacante e para Rosell.

Por outro lado, a empresa retirou as acusações contra Nadine Gonçalves, mãe de Neymar, que administrava com o pai do jogador a N&N Consultoria Esportiva, que representava o filho de anos.

Além disso, fez pedido de dois anos de prisão para o ex-presidente do Santos Odílio Rodrigues.

 O DIS também exige indenização de 57,48 milhões de euros (R$ 305,13 milhões) para o Barcelona e a N&N Consultoria Esportiva, além de outra multa de mesmo valor a ser paga pelo Santos.

O fundo de investimento acusa não ter recebido valor referente aos 40% dos direitos econômicos de Neymar que detinha, diante dos valores de 60 milhões de euros pagos pelo Barcelona ao Santos e a N&N. EFE