Flick diz que Alemanha tem culpa por estar em situação delicada na Copa

Doha (EFE).- O técnico de Gana, Otto Addo, descartou nesta quarta-feira que pensa no duelo com o Uruguai, pela última rodada do grupo H da Copa do Mundo, como uma “revanche” da derrota nos pênaltis, nas quartas de final da edição de 2010.

“Lido como qualquer outro jogo, em que queremos ganhar. O empate também serve, e não estou pensando em revanche. Para mim, é um jogo normal”, disse o comandante, em entrevista coletiva.

A partida realizada no estádio Soccer City, em Johanesburgo, na África do Sul, ficou marcado pelo lance, nos instantes finais da prorrogação, em que Luis Suárez evitou gol de Gana com a mão, foi expulso, mas o meia Asamoah Gyan acabou perdendo pênalti.

“Vi com tristeza aquela cena, pois era uma grande chance para Gana avançar às semifinais, mas faz 12 anos. Agora, é uma partida diferente, com características diferentes”, afirmou o treinador.

Com a vitória sobre a Coreia do Sul na segunda rodada, os Estrelas Negras precisam de apenas um ponto para avançar. Addo admitiu que será preciso um jogo de paciência contra os uruguaios, amanhã.

“Temos que acreditar, voltar a tentar se falharmos, acreditar no nosso planejamento e trabalhar juntos. Se acreditamos, temos um plano e os jogadores o executam, tudo é possível”, disse. EFE