Messi ganha livro com mensagens de vizinhos de Rosário

Buenos Aires (EFE).- O atacante Lionel Messi recebeu nesta segunda-feira um livro com mensangens de alguns dos seus vizinhos no condomínio onde tem casa em sua cidade natal, Rosário, antes de terminar as suas férias e voltar à França para ser reintegrado ao Paris Saint-Germain.

De acordo com Juan Felix Rossetti, administrador do Kentucky Clube de Campo, o capitão da seleção argentina, que ganhou a Copa do Mundo no Catar em dezembro, recebeu um livro com mensagens e saudações de vizinhos.

A entrega do livro foi feita de forma privada, através da família do jogador, que enviou à administração do condomínio duas fotos de Messi recebendo o presente em casa.

“Olá, Lio! É com imensa alegria que lhe damos as boas-vindas ao Kentucky, o nosso lugar no mundo que é, talvez, também seu. Receba este livro que reflete os sentimentos dos nossos moradores, e que esperamos seja um lembrete de boas-vindas da sua importância para esta comunidade”, diz o prefácio do livro.

“Obrigado pelo seu valioso esforço esportivo e dedicação, e por representar a nossa amada nação de forma tão gloriosa no mundo. Obrigado pelo seu talento e disciplina, por usar a camisa argentina com espírito exemplar, por nos fazer sentir tão orgulhosos. Parabéns, Lio, para você e toda a equipe! Um caloroso abraço de boas-vindas para a sua bela família”, conclui o trecho.

Messi chegou ao condomínio no dia 20 de dezembro, após passar por Buenos Aires, onde no mesmo dia foi saudado pelos fãs argentinos que aguardavam ansiosamente a chegada da seleção depois do título no Catar dois dias antes.

O craque se transferiu do aeroporto de Rosário ao condomínio de helicóptero, e vários vizinhos estavam à sua espera para cumprimentá-lo.

Desde então, o jogador tem aproveitado as férias de fim de ano em privacidade e, à exceção da sua viagem a algumas celebrações privadas com a família e amigos, não foi visto em nenhum evento público na cidade.

Com 240 hectares, o Kentucky Club de Campo – onde vivem outros ex-jogadores da seleção argentina como Maxi Rodríguez e Gabriel Heinze – tem cerca de 500 casas, cada uma com um design diferente, e espaços verdes com campos de golfe, tênis e futebol. EFE