País da Copa, Qatar tem 9 atrações imperdíveis para turistas

Javier Picazo Feliu.

Doha (EFE).- Mercados tradicionais, praias, o deserto, museus ou o skyline no calçadão da avenida La Corniche. O Qatar é um mundo de sensações, como se pode constatar conhecendo nove atrações imperdíveis no país que vai sediar a Copa do Mundo deste ano.

1.- Mercado das Maravilhas: Souq Waqif

Se há um local em que vale a pena voltar várias vezes em Doha é o mercado Souq Waqif, que é pura magia. A comida de rua, os restaurantes populares iemenitas, sírios ou turcos, o bazar de especiarias, o de animais e o de tecidos. Ele é dividido por áreas. O Gold Souq é onde se pode comprar ouro, joias e pagar o peso na hora. Há, ainda, uma área especializada em falcões, onde é possível visitar um hospital veterinário – que inclui um pequeno museu – e as lojas de venda de acessórios e aves. É o ponto exato em que se pode viver a experiência árabe ao máximo, além de ser o coração da cidade.

Dica: É melhor visitá-lo à noite, quando ganha vida. Holofotes iluminam as praças e ruelas, onde as falas dos vendedores, os sabores e cores do país ou a pechincha – fundamental em qualquer compra – deleitam qualquer turista. Para tomar café da manhã ou desfrutar o almoço, sem dúvida, um lugar especial é o Shay Al Shoomoos, onde se pode provar a culinária qatariana tradicional. Para a noite, quem nunca conheceu a comida iemenita, que é forte e muito especial, deve conhecer o popular Bandar Aden. A experiência é única.

2.- Sob um camelo pelo deserto branco

Em apenas um hora é possível passar de uma das cidades mais modernas do mundo para a beleza e a solidão do deserto branco qatariano, onde a água exerce um papel fundamental. Por ser um deserto que termina no mar, é possível fazer todo o tipo de atividades de praia, como kite ou windsurf, assim como percursos de camelo, caça com falcões, passeios em veículos 4×4 nas dunas ou curtir um dia no mar e uma noite na tradicional tenda beduína.

Dica: O deserto é uma experiência para os sentidos. O pôr do sol transforma a areia branca em avermelhada. O melhor lugar para vê-lo, sem dúvida, é o mar Interior, um dos poucos lugares do mundo em que o mar entra no deserto.

É, além disso, a maior reserva natural do Qatar e abriga todo o tipo de fauna silvestre, marinha e vegetal. É possível encontrar – se tiver um pouco de sorte – tartarugas, flamingos, antílopes, camelos e dugongos, um enorme mamífero marinho parecido com o peixe-boi.

3.- Arte interativa e origem beduína

A oferta de museus e centros de arte do país é muito ampla. Arte contemporânea, história do país, esporte e esculturas nas ruas que, certamente, merecem uma visita.

Os museus são todos prédios de design atraente – em um país obcecado pela perfeição -, muitos projetados por arquitetos premiados como Jean Nouvel ou I.M. Pei, o que garante um carisma especial às visitas. São obras de arte por si mesmos.

A “rosa do deserto” do Museu Nacional do Qatar, o Museu de Arte Árabe ou o Museu do Esporte 3-2-1 não são apenas interativos e recomendados para todas as idades, mas também monumentais.

Dica: Explore as ruas de Doha e descubra esculturas e obras de arte em muitas das esquinas, especialmente, na área de Katara, o mercado da região da Education City. Artistas renomados como Damien Hirst, Louise Bourgeois ou César Baldaccini deixaram sua marca.

Além disso, o Museu Nacional do Qatar é absolutamente imprescindível. Sua visita interativa permite entender a evolução de um país que passou da tradição do deserto para a tecnologia e modernidade em apenas 50 anos.

4.- Skyline e passeios de barco La Corniche

La Corniche é o calçadão da orla de Doha e um claro exemplo do que é o país. Em seus sete quilômetros de extensão, vai da tradição do mercado ou prédios governamentais, até o moderno skyline, formado por centenas de arranha-céus de cores que formam um visual único à noite.

Um passeio que conta com áreas para crianças, barcos tradicionais para percorrer a baía da capital, restaurante, comida de rua e que durante a Copa do Mundo tomará parte do espaço para veículos, que ficará parcialmente para os pedestres. Grande parte das atividades durante o torneio serão nessa longa avenida que, além disso, conta com o Al Dafna, um enorme parque onde ficará a principal fan zone do torneio.

Dica: Ao pôr-do-sol merece um passeio. A luz natural dá lugar à iluminação de uma cidade que muda de cor. Os pequenos barcos com luzes e a música da baía dão um toque especial, com ares kitsch.

O parque do hotel Sheraton, facilmente reconhecível pela forma de pirâmide, tem telas gigantes, food trucks, áreas de piquenique e locais para brincadeiras das crianças. La Corniche também é o lugar perfeito para os adeptos das corridas de rua, já que são sete quilômetros perfeitamente asfaltados, com o mar como protagonista.

5.- Cidade Cultural de Katara

Katara, nome pelo qual era conhecido na antiguidade o Qatar, é um centro cultural e comercial com personalidade própria e que reúne alguns dos prédios mais impressionantes da cidade.

No Katara Cultural Village há lugar para todas as culturas, através de museus, galerias comerciais, como a Lafayette – cujo prédio tenta simular um pequeno Versalhes -, o antiteatro grego com vista para o mar e duas mesquitas de design singular, a de ouro e a azul.

Além disso, na região não faltam restaurantes e bares, e há uma praia perfeita para dar um mergulho ou praticar esportes aquáticos. Um ótimo lugar para passar o dia. 

Dica: Comece pelas galerias Lafayette, área que conta, além disso, com ar-condicionado subterrâneo que sai por frestas na rua e onde é possível parar para comer algo a qualquer hora do dia, sem se preocupar com o calor.

Siga em direção ao mar e vá descobrindo os edifícios monumentais, obras de arte públicas, lojas e restaurantes, para terminar no passeio no mar e na praia.

Vale a pena ir a algum espetáculo no anfiteatro grego, que tem capacidade para 5 mil espectadores e cerca de 3,3 mil metros quadrados. Um lugar cheio de magia.

6.- Luxo e gastronomia da Pérola

Bem-vindo à ‘riviera qatariana’. A Pérola é um dos bairros mais conhecidos de Doha. Uma ilha artificial de 4 milhões de metros quadrados recuperados do mar com uma marina, hotéis de luxo, alguns dos melhores restaurantes do país e uma distribuição de canais de água, pontes e pequenas praças encantadoras, abrigando grandes áreas comerciais e jardins. 

Dica: Sua estrutura circular é perfeita para um passeio ao redor da marina. Iates e barcos, sorveterias, restaurantes, lojas de luxo e uma luz especial. Esta é a área chique da capital. A área residencial, com seus canais e praças, também merece uma visita. 

7.- Comprar em Veneza

Doha é cheia de opções de compras. Desde os mercados tracionais, como o Souq Waqif, passando pelas áreas de lojas da Pérola ou Katara, além de uma grande variedade de centros comerciais, muitos deles com encantos especiais e quase todos com centenas de atividades. 

Entre eles, destaca-se o Villaggio, inspirado em Veneza, na Itália, com canais, gôndolas e decoração nas paredes e tetos, e uma área de entretenimento com parque de diversões incluído. É possível passear de gôndola e, assim, ir de uma ponta à outra de uma forma diferente.

Por sua vez, o Mall of Qatar, maior shopping do país, oferece em 500 mil metros quadrados, atividades de lazer incríveis. A área Oásis é um cenário de 30 metros de altura, com jardins elevados em forma de árvore e um teatro giratório de 360 graus.

Dica: O Souq Waqif para compras é único. Já não só como experiência sensorial, mas também para poder sentir a pulsão do país. As ruelas labirínticas com falcões, ouro, jóias ou especiarias são de visita obrigatória. Preços populares que se adequam a todos os bolsos. Pechinche muito ou tente levar brindes.

Mas, os centros comerciais são um espetáculo em que se pode provar pratos de todo o mundo, se surpreender com as ofertas de lazer e aproveitar as melhores lojas, desde o luxo extremo até as franquias habituais. O Villaggio e sua recriação de Veneza é algo raramente visto em qualquer outro lugar do mundo.

8.- Design, mísica e cultura na biblioteca nacional

Há poucos espaços em Doha que surpreendam tanto como a Biblioteca Nacional, localizada na Education City e mantida pela Fundação Qatar. É uma ágora do século XXI. Não apenas pelo desenho arquitetônico, obra do alemão Rem Koolhaas, mas também por ser um edifício multidisciplinar.

No local, se pode aprender sobre as origens do país através de sua Biblioteca Patrimonial, com manuscritos, atlas, fotos e mapas, assistir a um concerto musical, comer, tomar café, tocar um instrumento musical, imprimir seus próprios desenhos em 3D e até mesmo relaxar em uma “sala do silêncio”. 

Dica: Os amplos espaços, a luz sempre presente em todo o imenso edifício, as estantes de livro sempre de frente para o visitante com volumes em todos os idiomas e para todos os tipos de deficiências, a deslumbrante originalidade de sua proposta e a sensação de estar em um lugar inesquecível fazem da Biblioteca Nacional uma visita imperdível em uma viagem ao Qatar.

A entrada é gratuita, e os espetáculos também. 

9.- Mesquitas em Doha

Em Doha, podem ser visitadas muitas mesquitas, e todas têm algo especial. Mas as do bairro de Katara – a de ouro e a azul -, são apaixonantes e surpreendentes, e a Grande Mesquita é monumental, mas, se uma se destaca pela arquitetura e solenidade, é a Mesquita da Education City.

Situada em um completo de 35 mil metros quadrados, foi projetada pelo arquiteto e calígrafo iraquiano Taha al-Hiti, que quis deixar a marca de todos os elementos típicos da cultura árabe. Além disso, o complexo conta com o Jardim Botânico Corânico, com as plantas citadas no Corão e a flora autóctone do Qatar.

Dica: O prédio é uma obra de arte contemporânea. Dentro estão pátios de beleza surpreendente, onde a cor branca e os detalhes de caligrafia o transformam em um lugar mágico e harmonioso. O Jardim Corânico é um lugar obrigatório e o espaço de oração é diferente de qualquer outro no mundo. Não deixará ninguém indiferente.

Aconselhamos a ir no horário da oração – não é difícil, porque são cinco chamadas diárias no Qatar – e a ser muito respeitoso para entender a importância do culto. Ao mesmo tempo, para poder admirar a beleza de um prédio imponente e singular. EFE