Tite mantém mistério sobre escalação da estreia e fala em equilíbio no meio

Doha (EFE).- O técnico Tite não quis revelar nesta quarta-feira qual será a escalação da seleção brasileira na estreia da Copa do Mundo, em jogo que acontecerá amanhã, contra a Sérvia, no estádio Lusail.

“A equipe não vou definir, para não dar ao adversário a oportunidade de saber. As variações vocês sabem e não vou falar. Eu faço escolhas, agrado a uns e outros, não. Isto é da escolha e da função do técnico”, desconversou o comandante dos pentacampeões.

A dúvida sobre qual o 11 inicial recai na presença do volante Fred, o que representaria uma formação mais cautelosa ou do meia-atacante Vinicius Júnior, o que tornaria a seleção mais ofensiva.

Na coletiva, sem dar muitas dicas, Tite falou apenas na filosofia de jogo que espera colocar em prática.

“Não acredito em encher de atacantes nem de encher de defensor. Eu entendo que o ponto de equilíbrio está no meio-campo, nas movimentações. E aí, sim, ter uma equipe equilibrada”, afirmou.

TIte ainda brincou, ao ser questionado sobre o peso de quebrar um jejum de duas décadas sem títulos da seleção brasileira, que busca no Qatar o hexacampeonato mundial.

“Não me coloca responsabilidade de 20 anos, são só quatro, de um processo todo”, disse o comandante, em referência ao ciclo desde a Copa da Rússia.

“A história é linda e traz pressão, sim, mas a pressão que um país todo vive, apaixonado, está nas ruas. Principalmente a garotada, serve como processo educativo e o futebol também é de educação, fundamentalmente. Tem pressão, mas a tranquilidade de saber das oportunidades que surgem na vida, que sonhar faz parte”, completou. EFE