Transporte no Qatar durante Copa será inovador, sustentável e gratuito

Javier Picazo Feliú.

Doha (EFE).- Rápido, moderno, limpo e gratuito. O transporte é extremamente fácil no Qatar, que assumiu o desafio de renovar as suas infraestruturas para organizar uma Copa do Mundo que deixa um extraordinário legado e um modelo de mobilidade inovador e eficaz.

“Diante da expectativa de receber durante a competição de 1,5 milhão a 2 milhões de pessoas em um mês, analisamos a capacidade de nossas infraestruturas no transporte público, no metrô, o que poderíamos fazer para ajudar a completar o serviço e responder às demandas”, disse Thani Al Zarraa, responsável pela área de mobilidade do Qatar 2022, à Agência EFE.

A partir dessa premissa, o país estabeleceu um plano para contar, em 2030, com infraestruturas em que a inovação tecnológica, a sustentabilidade e o desenvolvimento urbanístico sejam um selo de identidade.

“Estima-se que investimos o total de US$ 200 milhões em infraestruturas e transporte. Consideramos que a Copa do Mundo é um marco para nosso futuro, mas esse investimento vai além do torneio para nós”, completou.

Como se deslocar no Qatar durante a Copa

Em outras edições da Copa do Mundo, os estádios estavam em diversas cidades ou mesmo em diferentes países, com sedes separadas por centenas de quilômetros de distância. Mas, no Qatar, os 64 jogos da Copa acontecerão, pela primeira vez na história, em uma distância máxima de apenas 55 quilômetros.

Isso dá claras vantagens. Os torcedores poderão se hospedar em um mesmo local e serem capazes de assistir a todos os jogos usando unicamente o transporte público. Jogadores e comissão técnica não perderão tempo com longos deslocamentos, podendo focar na preparação, e, em termos de segurança, haverá maior controle.

Além disso, com o ‘Hayya Card’, os visitantes poderão usar de forma gratuita todos os meios de transporte público disponíveis.

“Uma vez que você chega ao aeroporto, apenas por ser um torcedor, terá à disposição o transporte público gratuito, seja metrô ou ônibus, que te levará a áreas centrais ou de hospedagem”, afirmou Zarraa.

A capital, Doha, contará com 79 quilômetros de metrô distribuídos em três linhas: a vermelha, a verde e a dourada, com um total de 37 estações. São 110 trens com acesso direito a cinco dos oito estádios do Mundial, que terão serviços de ônibus gratuitos ou cuja distância pode até ser percorrida a pé em alguns casos.

O sistema inovador de mobilidade sem condutores funcionará por quase 24 horas durante o torneio, com capacidade máxima de 10 horas da manhã às 2 da madrugada (horário local).

“Gostaria de destacar certos aspectos. O metrô é um meio de transporte de muito fácil acesso, tanto para o centro da cidade como para os estádios, assim como ônibus e as caminhadas”, afirmou o diretor de mobilidade.

Transporte rápido e inteligente

A sustentabilidade também foi encarada como um fator fundamental pelos organizadores, de acordo com ele.

“É muito importante para nós. Tentamos, por exemplo, tornar nossa frota de ônibus totalmente elétrica e sustentável”, disse.

No metrô, além disso, os torcedores terão 30 minutos grátis por dia para usar a rede wifi, caso precisem consultar alguma informação ou localização.

Quanto aos bondes, a cidade possui três redes principais.

O Lusail Tram contará com quatro linhas diferenciadas por cores – rosa, roxo, turquesa e laranja -, perfeitamente coordenadas com o metrô de Doha.

Ao todo, 25 bondes modernos com capacidade para 250 pessoas ligarão a cidade de Lusail – onde serão disputados o jogo de abertura e a final, entre outros duelos -, com o norte de Doha.

Por sua vez, o Education City Tram opera na região da Qatar Foundation, um dos principais pontos turísticos da cidade e sede de um dos estádios do torneio. São 11,5 quilômetros de linha, com capacidade para 180 passageiros por composição.

Finalmente, o Msheireb Tram funciona no centro da cidade e percorre de forma circular o bairro inteligente de Msheireb, a poucos passos do mercado de Doha, uma das maiores atrações turísticas da capital qatariana.

Os visitantes contarão ainda com uma rede de rodovias completamente nova, um serviço de táxi e veículos com motoristas privados, táxis aquáticos para ligar áreas da baía de Doha, sem falar em bicicletas, patinetes e motos elétricas para locação.

Planejar a viagem no Qatar

É importante que os torcedores tenham em mente a fácil disposição da cidade para se organizarem bem.

Desde o aeroporto, há muitas opções para chegar à cidade. O metrô, os ônibus e os transportes privados são rápidos. Os hotéis também fornecem serviços de transporte entre o aeroporto e os locais de hospedagem.

Uma vez na área urbana, o melhor é se deslocar a pé pelo centro de Doha – West Bay, Souq Waqif/La Corniche e o parque de Al Bidda – e percorrer as principais atrações turísticas e restaurantes da cidade e o entorno das áreas Fan Fest para torcedores.

Apesar de o mais indicado seja caminhar, há serviços de ônibus que conectam todas as regiões.

Para ir aos estádios, o melhor é se programar para aproveitar a festa horas antes dos jogos. Metrô e ônibus são as melhores opções.

“O Qatar será o menor país do mundo a organizar um evento tão importante. E a proximidade destes lugares, destes oito excelentes estádios, permite assistir a mais de dois jogos em um dia, mas é preciso se planejar. Assim, meu último conselho é para que se organizem com antecedência. Haverá os meios de transporte à disposição para ir de um ponto a outro”, disse Al Zarraa.

A organização não quis que ninguém corresse riscos, assim, no aplicativo para celulares do visto obrigatório – o ‘Hayya Card’ – foi incluído um planejador de viagem com os horários em tempo real de ônibus e metrô, a possibilidade de reservar assentos, alertas de mobilidade e o passe gratuito para torcedores.

Um investimento e um planejamento à altura de um país extremamente preparado para receber o maior espetáculo futebolístico do mundo. EFE