World Skate Games são ótima oportunidade para conhecer a Argentina

Concepción M. Moreno.

Buenos Aires (EFE) – Com grandes representantes na elite de esportes como futebol, basquete, rugby, tênis e hóquei na grama, a Argentina continua apostando em outras disciplinas para organizar competições que permitam “uma grande sinergia natural” com o turismo.


Se La Bombonera ou o Estádio Monumental de Buenos Aires, ou cidades como Bahía Blanca – berço do basquete argentino – são lugares de peregrinação para muitos amantes do esporte, a realização de eventos de modalidades diferentes serve como uma grande “desculpa” para viajar pelo país.


Essa é a opinião do ministro de Turismo e Esportes do país, Matías Lammens, sobre a terceira edição do World Skate Games, competição que começou no dia 24 de outubro e termina em 13 de novembro tendo como sede três cidades da Argentina.

“É muito importante sediar eventos internacionais dessa envergadura. Mais de 7.000 atletas de todo o mundo nos visitarão, e estamos muito orgulhosos disso. E, como sempre dizemos, existe uma grande sinergia natural entre o esporte e o turismo”, declarou Lammens.


Eventos de 10 modalidades esportivas, desde as mais tradicionais, como hóquei sobre patins, patinação artística ou patinação de velocidade, até as mais recentes e arriscadas tendências urbanas, como skate, roller freestyle ou skate cross, realizam acirradas disputas na Argentina até o final da próxima semana.


Entre os renomados competidores que se encontram na Argentina durante este período estão atletas como a italiana Rebeca Tarlazzi, campeã mundial de patinação artística; o patinador espanhol Lucas Núñez; o jogador português do hóquei sobre patins Gonçalo Alves e o italiano Alessandro Bertolucci, um jogador histórico da Itália que agora é técnico da seleção ‘azzurra’.

Onde ver cada competição


As competições de skate, hóquei sobre patins em linha, patinação livre inline, patinação artística e patinação de velocidade (estrada), roller freestyle e scooter estão sendo realizadas em Buenos Aires.


O Parque de las Mujeres Argentinas, na renovada área de Puerto Madero, e o Parque Olímpico da Juventude, no oeste da capital, sediam essas competições.


Enquanto isso, o torneio de patinação de velocidade tem lugar no Paseo de la Costa, uma área recreativa às margens do Rio da Prata, na cidade de Vicente López, na província de Buenos Aires, que já foi sede dos Jogos Olímpicos da Juventude e do Campeonato Argentino de BMX.


Já San Juan, no oeste da Argentina, é o lar do hóquei em patins, do skate cross e de várias modalidades de inline e skateboarding.


Com exceção do hóquei sobre patins, as modalidades ao ar livre são disputadas no circuito da represa de Punta Negra, um belo lugar entre as montanhas, cheio de curvas perigosas, para dar a emoção necessária à competição às margens da represa no rio San Juan.


Depois das edições de Nanjing (China) e Barcelona (Espanha), a terceira edição do Copa do Mundo, como é chamado o World Skate Games, está sendo realizada nestes três locais que, segundo Lammens, permitem “descobrir atrações turísticas maravilhosas em termos de riqueza natural, gastronomia, história e cultura”.

A tradição argentina no turismo e no esporte


O ministro, que descreve a tradição esportiva da Argentina como “inegável”, afirmou que “é uma grande atração para espectadores de todo o mundo”.


De acordo com os últimos números divulgados pelo ministério, até agora, em 2022, a Argentina recebeu quase 3 milhões de turistas estrangeiros, em sua maioria de países vizinhos, o que gerou uma receita de US$ 2,23 bilhões.

“Não temos dúvidas de que este tipo de eventos são uma força motriz por trás destes números”, ressaltou Lammens.


A Vuelta a San Juan, de ciclismo, e o Grande Prêmio de MotoGP em Santiago del Estero são outros grandes eventos esportivos no calendário do país, mas não há dúvidas de que skatistas têm agora uma ótima desculpa para viajar pela Argentina. EFE