Zebra das Arábias! Messi marca, mas Argentina perde em estreia na Copa

Lusail (EFE).- A Argentina viu ruir nesta terça-feira uma série invicta de 36 jogos, justamente em estreia no grupo C da Copa do Mundo, ao ser derrotada para a Arábia Saudita por 2 a 1, na primeira grande zebra que se fez presente nos gramados do Qatar.

O jogo realizado no estádio Lusail tinha tudo para ser histórico para Lionel Messi, que, ao atuar, entrou no grupo de jogadores que atuaram em cinco diferentes edições do torneio, junto com os mexicanos Antonio Carbajal e Rafa Márquez, o alemão Lothar Matthäus e o italiano Gianluigi Buffon.

Logo aos 10 minutos do primeiro tempo, o 10 da Argentina ampliou a importância da partida, converter pênalti e se tornar o quinto jogador a fazer gol em quatro Mundiais diferentes, se juntando a Pelé, aos alemães Uwe Seeler e Miroslav Klose e ao português Cristiano Ronaldo.

Mas, no segundo tempo, em menos de dez minutos após o apito inicial, a Arábia Saudita colocou a zebra para passear em campo e virou em grande estilo, graças aos atacantes Saleh Al-Shehri e Salem Al Dawsari, que viraram o marcador. 

Embora tenha lutado, a Argentina não conseguiu superar a própria desorganização e nervosismo para ir buscar o empate, com isso, de quebra, viu ser quebrar uma invencibilidade de 36 jogos oficiais. Se não perdesse hoje, os bicampeões mundiais teriam igualado a série da Itália estabelecida entre 2018 e 2021, a maior da história.

A rodada do grupo C, aberta com a vitória saudita, terá sequência ainda hoje, com duelo entre México e Polônia, que acontecerá no estádio 974, em Doha.

Na sequência na competição, a Argentina voltará a campo no próximo sábado, em duelo com os mexicanos. No mesmo dia, a Arábia Saudita duelará com os poloneses.

Uma virada surpreendente

Os prognósticos apontavam um favoritismo esmagador da Argentina, que fez o possível para confirmá-lo logo nos primeiros minutos. Aos 3, após escanteio cobrado na área, Paredes caiu, e o árbitro esloveno Slavko Vincic foi alertado pelo VAR de falta. Messi foi para a cobrança e, com frieza, abriu o placar.

O domínio ‘albiceleste’ parecia claro, mas desde o início do primeiro tempo, os impedimentos seguravam o ataque dos comandados por Lionel Scaloni. Lautaro Martínez e Papu Gómez, duas vezes, estariam em boas condições de marcar, se não estivessem adiantados.

Aos 22, Messi recebeu livre, partiu em direção ao gol e tocou de leve para vencer o goleiro Al Owais. O lance, contudo, acabou sendo anulado por causa de posição irregular do camisa 10.

Cinco minutos depois, a história se repetiu, quando Gómez foi acionado na entrada da área e deu toque leve, cheio de categoria para estufar a rede. O VAR entrou em ação e flagrou o impedimento do meia-atacante argentino.

O drama argentino foi só aumentando, enquanto os gols anulados iam se acumulando. Aos 35, Messi lançou Lautaro Martínez, que estava muito adiantado antes de marcar, o que facilitou o trabalho da arbitragem.

O drama argentino

Se era melhor no primeiro tempo, mas falhava no posicionamento, com impedimentos em seguida, no segundo, a Argentina viu o problema mudar e passar a ser a surpreendente eficiência da Arábia Saudita.

Aos 3, Messi perdeu bola no campo ofensivo, e após rápida saída da defesa, Al-Shehri recebeu na esquerda da área adversária e bateu cruzado para empatar e instalar o caos no estádio Lusail.

O resultado que já era ruim para os argentinos ficaria ainda pior cinco minutos depois, quando os sauditas desceram pela direita e, após bate e rebate na área, Al-Dawsari recolheu a bola na esquerda, se livrou da marcação e acertou um chutaço para virar.

A Argentina, muito desorganizada, não deixou de lutar. Aos 28, após finalização de Lisandro Martínez e desvio de Tagliafico, Al Owais fez defesa espetacular.

Na base do abafa, os bicampeões tentaram de tudo até os acréscimos. Aos 46, o goleiro saudita dividiu com Otamendi após cruzamento, e a bola sobrou para Álvarez, que bateu para o gol, mas viu Al Amri, que havia acabado de entrar, salvar em cima da linha.

Já aos 56 do segundo tempo, após muitas paralisações e atendimentos médicos, a Argentina tentou pela última vez, em cabeçada de Álvarez, mas, outra vez, Al Owais apareceu para defender e segurar firme a vitória saudita.

Ficha técnica:

Argentina: Emilianio Martínez; Molina, Romero (Lisandro Martínez), Otamendi e Tagliafico (Acuña); De Paul, Paredes (Fernández) e Gómez (Álvarez); Messi, Di María e Lautaro Martínez. Técnico: Lionel Scaloni

Arábia Saudita: Al Owais; Abdulhamid, Al Tambakti, Al Bulayhi e Al Shahrani (Al-Breik); Al Malki, Al Faraj (Al Abed, depois Al Amri) e Kanno; Albrikan (Asiri), Al-Shehri (Alganham) e Al Dawsari. Técnico: Hervé Renard

Árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia), auxiliado por Tomaz Klancnik (ESL) e Andraz Kovacic (ESL) 

Gols: Messi (Argentina); Al-Shehri e Al Dawsari (Arábia Saudita).

Cartões amarelos: Al Malki, Al Bulayhi, Al Dawsari, Abdulhamid, Al Abed e Al Owais

Estádio: Lusail, em Lusail (Qatar). EFE