Recep Tayyip Erdogan. EFE/Arquivo/NECATI SAVAS

Erdogan pede a Putin que renove o acordo de grãos e não aumente a tensão do conflito

Istambul/Moscou (EFE).- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu nesta quarta-feira ao presidente russo, Vladimir Putin, que renove o acordo de exportação de grãos ucranianos e não aumente as tensões do conflito, após Moscou atacar um porto fluvial vital para a saída de grãos da Ucrânia.

Na conversa telefônica com Putin, Erdogan apontou que o acordo, suspenso em 17 de julho, pode ser uma “ponte para a paz”, segundo a agência de notícias turca “Anadolu”.

Ele também enfatizou que não devem ser tomadas medidas que levem ao aumento da tensão na guerra russo-ucraniana, pedido que surge após um ataque que não causou vítimas, mas danificou um silo de grãos em Izmail, porto fronteiriço com a Romênia, um país membro da Otan.

Desde que a Rússia suspendeu o acordo de exportação de cereais, que lhe permitia operar em três portos ucranianos no Mar Negro, Izmail, um porto fluvial no rio Danúbio, a quase 100 quilômetros do mar, mas adequado para grandes navios de carga, tornou-se a mais importante porta de entrada comercial da Ucrânia.

Neste momento, uma centena de navios aguarda a sua vez nas águas romenas do Mar Negro na foz do Danúbio e mais de 50 navegam no rio ou atracam nas docas de Izmail.

Erdogan insistiu que manter o acordo de exportação suspenso por muito tempo não beneficiaria ninguém e prejudicaria sobretudo os países de baixa renda, que precisam importar grãos.

Ele lembrou que após a aprovação do acordo, em julho do ano passado, o preço mundial dos grãos havia caído 23%, enquanto voltou a subir 15% nas últimas duas semanas, quando o pacto foi desativado.

Acrescentou que, por sua vez, continuará realizando intensos esforços diplomáticos para retomar o acordo.

Putin, por sua vez, respondeu que estender o pacto de exportação de grãos não fazia sentido, dada a “total falta de progresso” em relação às medidas pró-Rússia incluídas no acordo, segundo um comunicado do Kremlin.

Ele garantiu a Erdogan que estava pronto para retomar o pacto assim que o Ocidente assumisse suas obrigações para com a Rússia.

Ao longo do último ano, Moscou denunciou que, embora a exportação de grãos e fertilizantes russos estivesse incluída no acordo, seus navios estavam tendo enormes dificuldades para usar os portos europeus ou o sistema bancário, devido às sanções da UE contra a Rússia.

Putin também lembrou que estava considerando a opção de enviar grãos gratuitamente aos países necessitados, uma promessa feita várias vezes no passado e reiterada na cúpula russo-africana em São Petersburgo na semana passada. EFE