EFE/HAITHAM IMAD

Israel realiza mais de 4.300 ataques contra Faixa de Gaza e destrói 3.000 alvos do Hamas

Jerusalém (EFE).- O Exército israelense realizou mais de 4.300 ataques na Faixa de Gaza nas últimas horas, destruindo centenas de postos de lançamento de mísseis antitanque e 300 túneis de acesso, no 38º dia de guerra dentro do enclave contra as milícias islâmicas lideradas pelo Hamas.

“No total, destruímos mais de 3.000 locais de infraestrutura terrorista, incluindo mais de 100 estruturas equipadas com explosivos e centenas de centros de comando e controle do Hamas”, disse um porta-voz militar.

Horas antes, o Exército israelense informou nesta segunda-feira que está operando pelo segundo dia consecutivo no campo de refugiados de Al Shati, no noroeste da Cidade de Gaza, perto da costa, onde disse ter desmantelado “infraestrutura terrorista do Hamas”.

“As tropas continuam realizando incursões nos arredores do campo de Al Shati, tendo como alvo a infraestrutura terrorista localizada em instituições do governo central no coração da população civil, incluindo escolas, universidades, mesquitas e residências de terroristas”, detalhou um porta-voz militar.

De acordo com o Exército, a infraestrutura do grupo islâmico Hamas, com o qual tem sido travada uma guerra desde 7 de outubro, está “deliberadamente localizada dentro de estruturas civis”, incluindo a Universidade Al Quds e dentro da mesquita Abu Bakr.

“As tropas descobriram uma seção da mesquita que abriga um grande número de dispositivos explosivos e materiais inflamáveis. Durante a atividade, as tropas apreenderam dezenas de armas, equipamentos militares e planos operacionais pertencentes ao Hamas”, explicou um comunicado militar.

O Exército também informou que suas tropas terrestres entraram na residência de um comandante da Jihad Islâmica e “localizaram uma grande quantidade de armas dentro do quarto das crianças na casa”.

Além disso, em outra operação na cidade de Beit Hanoun, no norte do país, as tropas “localizaram um poço de um túnel, materiais de inteligência e armas”, informou o Exército.

A guerra entre Israel e as milícias islâmicas está em seu 38º dia, com mais de 11.000 mortos e 27.000 feridos na Faixa de Gaza após um brutal ataque do Hamas em solo israelense em 7 de outubro, que deixou 1.200 mortos e 239 sequestrados.

O Exército israelense registrou 363 baixas desde o início da guerra, 44 delas durante a ofensiva terrestre dentro do enclave.

As forças israelenses também operam dentro da Cidade de Gaza há vários dias e mantêm sob cerco os principais hospitais, onde milhares de feridos e desabrigados estão sem água, medicamentos em instalações sem combustível para funcionar.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte que perdeu o contato com o hospital Al Shifa, enquanto outro da Cidade de Gaza, Al Quds, não está mais funcionando por falta de combustível, segundo o Crescente Vermelho Palestino. EFE