Bezos planeja doar quase toda a fortuna a causas beneficentes

Nova York/Washington (EFE).- O fundador da Amazon, Jeff Bezos, disse à emissora americana “CNN” que planeja doar a maior parte de seu patrimônio de US$124 bilhões para combater a mudança climática e as profundas divisões sociais e políticas do mundo.

“Sim, o farei”, disse Bezos em resposta a uma pergunta sobre se ele pretende fazer tal gesto.

Bezos e sua parceira, a jornalista e filantropa Lauren Sánchez, afirmaram em sua primeira entrevista juntos desde que começaram a namorar, em 2019, que estão trabalhando para “construir a capacidade de poder dar esse dinheiro”.

O magnata se comprometeu a doar US$ 10 bilhões em dez anos, 8% de sua fortuna, ao fundo Bezos Earth, que ele copreside com Sánchez.

As prioridades do fundo incluem a redução da pegada de carbono do cimento e do aço, pressionar os reguladores financeiros a assumir riscos climáticos e avançar com dados e tecnologias de mapeamento para monitorar as emissões poluentes.

Durante a conversa, Bezos comparou sua estratégia filantrópica com os anos que passou construindo a Amazon e se dedicando à computação em nuvem.

“Criar a Amazon não foi fácil, foi preciso muito trabalho duro, um monte de colegas de equipe muito inteligentes, trabalhadores duros, e eu estou reparando, e eu acho que Lauren também, que caridade, filantropia, é muito semelhante”, refletiu.

A entrevista foi divulgada em um momento em que há receios de uma recessão econômica na maioria das partes do mundo.

No mês passado, Bezos advertiu seus seguidores no Twitter para “fecharem as escotilhas”, com objetivo de que os empresários e consumidores adiem grandes compras ou gastos.

“Apenas um pouco de redução de riscos pode fazer a diferença para aquela pequena empresa, se entrarmos em maiores problemas econômicos. Você tem que jogar com as probabilidades um pouco”, disse.

Durante a entrevista, os dois discutiram a futura viagem espacial de Sánchez, possivelmente em 2023, com uma tripulação só de mulheres.

O magnata e sua parceira deram esta entrevista por ocasião da entrega do Prêmio Bezos de Coragem e Ação Cívica à cantora americana Dolly Parton, que recebeu US$ 100 milhões para usá-los em atividades de caridade. EFE