Biden confirma libertação de jogadora de basquete americana na Rússia

Washington (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou nesta quinta-feira que a jogadora de basquete Brittney Griner foi libertada na Rússia em troca de presos e que já está viajando em direção ao território americano.

“Ela está a salvo, está em um avião. Vem de volta para casa”, garantiu o chefe de Estado, em postagem no Twitter, em que garantiu já ter conversado com a atleta.

A declaração de Biden foi feita na abertura da entrevista coletiva que o presidente concedeu na Casa Branca junto com a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, e a mulher da jogadora, Cherelle Griner.

O presidente explicou que a atleta está em um bom estado de ânimo e que foi libertada após “intensas negociações”, seguintes a uma condenação por um julgamento “teatral” e injusto.

Na coletiva, Biden também mencionou outros americanos que foram tomados “como reféns” e “detidos arbitrariamente” na Rússia ou outros países, garantindo que essas pessoas são prioridade para o governo que lidera.

O presidente lamentou que os Estados Unidos não puderam libertar ainda o ex-fuzileiro naval Paul Whelan, acusado de espionagem pelas autoridades russas.

GRINER PRESA E CONDENADA

Griner foi condenada em agosto a nove anos de prisão na Rússia, sob a acusação de posse e tráfico de drogas. Ela foi trocada por Viktor Bout, conhecido como “Mercador da Morte”, traficante de armas que cumpria pena de 25 anos de prisão nos EUA.

A jogadora de basquete foi presa em fevereiro passado, no aeroporto de Moscou, ao ser encontrado óleo de cannabis em sua bagagem. Ela se declarou culpada em julgamento e pediu perdão da condenação, o que foi negado pelo tribunal. EFE