Brasil alerta para “problemas” de negociações individuais no Mercosul

Montevidéu (EFE).- O Brasil fez um alerta nesta segunda-feira sobre os “problemas” que o Mercosul pode enfrentar com possíveis negociações individuais de seus países-membros fora do bloco, ao mesmo tempo em que expressou sua preocupação com a solicitação de ingresso do Uruguai ao Tratado Integral e Progressista de Associação Transpacífico (CPTPP).

“Estamos preocupados com problemas que inevitavelmente resultariam das negociações individuais: problemas jurídicos e comerciais”, disse o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, que destacou a necessidade de “preservar o patrimônio que representa o processo de integração”.

A afirmação foi feita durante a LXI Reunião Ordinária do Conselho do Mercado Comum, marcada pela recente advertência que Brasil, Argentina e Paraguai fizeram ao Uruguai após saberem que este país solicitou formalmente sua adesão ao CPTPP .

Por outro lado, o chanceler brasileiro enfatizou que seu governo vê com bons olhos as “modalidades flexíveis” de negociações.

“O Brasil está aberto a discutir modalidades flexíveis em nossas negociações externas do bloco desde que isso ocorra de forma franca e transparente, nas instâncias pertinentes do bloco e respeitando os princípios básicos de nosso processo de integração”, ressaltou.

França também destacou que, durante a presidência temporária do bloco exercida pelo Brasil, conseguiu-se a reativação das Comissões Administrativas dos acordos com Colômbia, Chile e Peru para impulsionar a agenda.

Da mesma forma, avaliou que, no último semestre, o Brasil “continuou contribuindo” para fechar os acordos pendentes entre o Mercosul e a União Europeia.

“Nos próximos meses esperamos que haja condições para retomar as negociações com a Coreia do Sul e para isso é preciso avançar no mercado agrícola e nas medidas sanitárias para um fechamento adequado”, considerou.

A Reunião Ordinária do Conselho do Mercado Comum começou nesta segunda-feira com um café da manhã de trabalho dos ministros de Economia dos países que formam o bloco e da Bolívia.

Mais tarde, os ministros das Relações Exteriores e os titulares da Economia realizaram uma nova reunião durante o dia.

A capital uruguaia sediará amanhã, terça-feira, a cúpula de chefes de Estado do Mercosul na qual participarão Alberto Fernández e os presidentes do Paraguai, Mario Abdo Benítez, e do Uruguai, Luis Lacalle Pou.

Na ausência do presidente Jair Bolsonaro, o Brasil estará representado por seu vice, Hamilton Mourão. EFE