Charles III proíbe foie gras nas residências da realeza britânica

Londres (EFE).- As residências da Casa Real britânica não oferecerão foie gras aos comensais, de acordo com uma carta enviada pelo Palácio de Buckingham ao grupo de direitos animais PETA, que foi divulgada nesta sexta-feira pela imprensa do Reino Unido.

Nessa carta, Buckingham ressalta que a iguaria, feita a partir do fígado aumentado de patos ou gansos, não é comprada ou servida nos palácios da monarquia britânica.

“Não há planos para mudar esta política”, afirma a carta, segundo o jornal “Daily Telegraph”.

O rei Charles III, que sucedeu Elizabeth II após sua morte em 8 de setembro, destacou-se ao longo da sua vida pelo seu compromisso com o meio ambiente e pela sua oposição ao consumo de foie gras devido ao sofrimento animal implicado em sua preparação.

Como lembra a emissora “BBC”, quando Charles ainda era príncipe de Gales, vetou o foie gras em suas propriedades, uma abordagem que transferiu para as residências reais assim que foi proclamado soberano.

A carta recebida pela PETA confirma que o consumo de foie gras é proibido nos diferentes palácios da monarquia, incluindo os de Buckingham, Balmoral, Windsor e Sandringham.

A vice-presidente da PETA no Reino Unido, Elisa Allen, declarou que é hora de outros “seguirem o exemplo do rei e manterem o foie gras fora do cardápio neste Natal e além”, segundo a “BBC”.

Atualmente, a produção do foie gras é proibida no Reino Unido, mas não sua venda ou importação. EFE