Dados indicam que 2022 foi o sexto ano mais quente da história

Miami (EFE).- A tendência de aquecimento global continuou em 2022, o sexto ano mais quente desde 1880, de acordo com uma análise feita por cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA).

A temperatura média da superfície terrestre e oceânica em 2022 superou a média do século XX, de 13,9 graus Celsius, em 0,86 graus.

O relatório preparado pelos Centros Nacionais de Informação Ambiental (NCEI) foi divulgado nesta quinta-feira em teleconferência por funcionários da NOAA e da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (Nasa).

De acordo com o relatório, 2022 foi o 46º ano consecutivo (desde 1977) com temperaturas globais acima da média do século XX.

Os dez anos mais quentes foram registrados desde 2010, com os últimos nove anos (2014-2022) no top 10.

A temperatura da superfície do hemisfério norte em 2022 foi também a sexta mais quente desde o início dos registros, 1,1 grau acima da média.

A temperatura do hemisfério sul foi a sétima mais elevada dos 143 anos analisados, superando a média em 0,61 grau.

O calor oceânico global (OHC), um indicador do calor armazenado nos 2.000 metros superiores do oceano, atingiu um recorde em 2022, ultrapassando o estabelecido em 2021.

A extensão (cobertura) anual do gelo marinho antártico em 2022 era de 10,5 milhões de quilômetros quadrados, um mínimo só atingido em 1987.

No Ártico, a extensão média anual de gelo marinho foi de cerca de 10,6 milhões de quilômetros quadrados, a 11ª menor cobertura no registro de 1979 a 2022. EFE