Dona do Google, Alphabet anuncia demissão de 12 mil funcionários

Nova York (EFE).- A companhia americana Alphabet, dona da Google, anunciou nesta sexta-feira que demitirá 12 mil funcionários, o que representa 6,4% do total dos trabalhadores da companhia.

A decisão vem depois de anos de um crescimento classificado como “espetacular”, em que a empresa afirma ter encarado uma “realidade econômica diferente” da atual.

Hoje, foi enviado um email para os funcionários nos Estados Unidos que foram afetados pela redução do plantel, segundo informou Sudar Pichai, CEO da Google e da Alphabet.

Em outros países, o processo de comunicação de dispensa será feito com maior prazo, para que se adeque às leis locais.

As demissões aconteceram, segundo comunicado, após uma “revisão rigorosa” de todas as áreas e funções dos produtos, com o objetivo de reajustar custos da companhia e dirigir o talento e o capital para as prioridades mais importantes.

A companhia indenizará os funcionários em todo o mundo que forem dispensados, de acordo com as práticas de cada país.

Por outro lado, a Alphabet informou que está se preparando para lançar experiências novas para os funcionários, desenvolvedores e empresas, destacando a inteligência artificial como uma grande oportunidade para os produtos.

Aumento no plantel em 2022

A companhia tinha, em setembro de 2022, 186.779 mil funcionários, pouco mais de 26 mil do que um ano antes.

As demissões em empresas de tecnologia seguem ocorrendo em uma semana que a Microsoft anunciou a dispensa de 10 mil empregados, cerca de 5% do total. A Amazon também começou a informar nos últimos dias os primeiros dos 18 mil demitidos.

Tudo isso acontece depois de um 2022 em que as grandes companhias demitiram mais de 150 mil pessoas em todo o mundo, com destaque para os cortes no Twitter e na Meta, proprietária do Facebook e do Instagram. EFE