Guterres reitera seus apelos por respeito ao Estado de Direito no Peru

Nações Unidas (EFE).- A ONU voltou a pedir nesta sexta-feira, pela segunda vez em uma semana, o respeito pelo Estado de Direito no Peru e a garantia da liberdade de reunião e manifestação pacífica, depois dos confrontos em protestos que já causaram 18 mortes em várias regiões do país.

O porta-voz das Nações Unidas, Stéphane Dujarric, lembrou que o secretário-geral, António Guterres, “está acompanhando a situação com preocupação” e que lamenta a perda de vidas humanas.

Depois voltou a referir-se, quase nos mesmos termos de quarta-feira, às cenas de violência e pediu a “todas as partes que se contenham, mantenham a calma e não provoquem tensões”.

Na quarta-feira passada, a presidente peruana, Dina Boluarte, declarou um estado de emergência que vigorará por 30 dias e que implica na suspensão dos direitos de reunião, inviolabilidade do domicílio e liberdade de trânsito.

Esta declaração não acalmou os ânimos dos manifestantes, pelo contrário, parece tê-los agravado, uma vez que não desistem de exigir a renúncia de Boluarte, a dissolução do Congresso e a convocação de uma Assembleia Constituinte. EFE