Kanye West comprará a polêmica rede social conservadora Parler

Washington (EFE).- O rapper Kanye West adquirirá a polêmica rede social Parler, uma das favoritas dos conservadores dos Estados Unidos, conforme divulgou a própria companhia que detém a plataforma nesta segunda-feira, através de comunicado.

“Em um mundo onde as opiniões conservadoras são consideradas controversas, devemos nos assegurar o direito a livre expressão”, disse o Kanye West na nota oficial.

West e a Parlement Technologies, até então dona da Parler, entraram em acordo de compra e venda, que será fechado nos próximos meses, conforme divulgou a empresa.

A Parler ficou suspensa durante parte de 2021 nas plataformas de aplicativos da Apple e do Google, depois da invasão ao Capitólio realizada por simpatizantes do ex-presidente Donald Trump.

A rede social foi bloqueada por não tomar medidas suficientes para moderar comentários de usuários, incluindo manifestações racistas ou de incitação à violência.

Segundo afirmou o diretor da Parlement Technologies, George Farmer, “esse acordo mudará o mundo e mudará a forma com que o mundo pensa sobre liberdade de expressão”.

“Ye (nome artístico que o rapper assumiu) está fazendo um movimento inovador no espaço dos meios de liberdade de expressão e nunca mais terá que temer ser eliminado das redes sociais”, indicou a companhia.

“Isso demonstra que está um passo adiante da narrativa midiática herdada”, completa a nota oficial”.

Com sede na cidade de Nashville, a empresa afirma exercer uma “força motora na luta pelas grandes companhias, o grande governo, a censura e a cultura do cancelamento”.

O grande ‘boom’ do Parler veio depois das eleições presidenciais de 2020 nos EUA, quando se tornou local para a propagação de teorias da conspiração e um dos canais utilizados para a organização dos protestos que resultaram no ataque à sede do Congresso, em 6 de janeiro de 2021. EFE