Kremlin considera perigosos apelos de Zelensky por ataque preventivo

Moscou (EFE).- Os apelos do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, por um ataque preventivo contra a Rússia são um sinal de seu estado moral, que pode levar a erros perigosos, segundo opinou nesta sexta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

“Do ponto de vista dos sintomas, é um fenômeno muito perigoso”, declarou Peskov à televisão pública russa.

“De fato, o líder da Ucrânia convocou os principais Estados do mundo, os países do clube nuclear, a realizarem um ataque preventivo contra o nosso país, contra a Rússia”, comentou o representante da presidência russa.

“Esta é uma declaração absolutamente flagrante, possivelmente uma demonstração do estado moral do presidente ucraniano, que pode levar a erros muito sérios e irreparáveis”, acrescentou.

Em uma videoconferência com o Instituto Lowy da Austrália na quinta-feira, Zelensky pediu à Otan uma “ação preventiva” contra a Rússia para impedir que use armas nucleares, o que disparou os alarmes na Rússia, apesar de autoridades ucranianas alegarem que o presidente estava se referindo a sanções.

“Está claro que é impossível ignorar isso, e pedimos aos líderes de outros Estados que também não ignorem”, declarou Peskov.

O representante do Kremlin lamentou ainda que o Ocidente não tenha colocado Zelensky em seu lugar após essas declarações.

“Houve algumas tentativas tímidas de, digamos, criticar o tom de Zelensky que ouvimos na ONU e em outros lugares. Mas, infelizmente, ninguém pensou em colocar seu vassalo em seu lugar. Isso é muito perigoso”, completou. EFE