Lavrov: Rússia pode negociar sobre Ucrânia se tiver exigências respeitadas

Moscou (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse nesta quarta-feira que a Rússia está pronta para negociar um acordo na Ucrânia se suas “exigências absolutamente legais” forem respeitadas.

“Se agora houver uma proposta séria sobre como acabar com este conflito enquanto forem cumpridas nossas exigências absolutamente legais, é claro, estaremos prontos para o diálogo”, disse Lavrov em um fórum internacional realizado em Moscou.

O chefe da diplomacia russa não explicou se por “exigências absolutamente legais” ele também se referia à anexação de quatro regiões ucranianas – Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhzhia – cujos territórios a Rússia não controla em sua totalidade.

Lavrov enfatizou que nunca faltou “boa vontade” à Rússia em negociar e disse que havia enviado suas exigências de garantias de segurança ao Ocidente em dezembro e realizado negociações com a Ucrânia em Istambul, em março.

Ele ressaltou que alguns líderes ocidentais, como o presidente da França, Emmanuel Macron, de vez em quando têm falado da necessidade de negociações, mas sempre sem nenhum resultado concreto.

Enquanto isso, ele acrescentou, o Ocidente “continua alimentando a esperança de destruir a Rússia no campo de batalha”.

“Alguns o dizem na nossa cara, outros não”, afirmou.

Lavrov falou sobre os planos ocidentais de criar um tribunal para investigar supostos crimes de guerra cometidos pelo exército russo na Ucrânia, bem como para exigir reparações pela invasão do país vizinho.

Ele acusou o Ocidente de desacreditar a Assembleia Geral da ONU, que não tem prerrogativa para tomar esse tipo de decisão, uma vez que, ao contrário do Conselho de Segurança, é um órgão que só pode fazer recomendações. EFE