Meloni será 1ª mulher a comandar Itália

Roma (EFE).- A líder do partido ultradireitista Irmãos de Itália, Giorgia Meloni, aceitou nesta sexta-feira formar o novo governo do país, após se reunir com o presidente Sergio Mattarella, que formalizou o convite, e com isso será a primeira mulher a assumir o cargo de primeira-ministra na história italiana.

O partido de Meloni foi o mais votado nas eleições parlamentares de 25 de setembro, nas quais concorreu em coalizão com outras duas legendas de direita – a Liga, liderada pelo ex-ministro do Interior Matteo Salvini, e o Força Itália, do ex-premiê e empresário Silvio Berlusconi. Por isso, já era esperado que ela recebesse a incumbência de formar o governo.

A posse do novo governo vai acontecer amanhã no Palácio Quirinale, a sede da presidência, às 10h (5h de Brasília).

A política romana, de 45 anos, aceitou o cargo de premiê “sem reservas”, algo incomum na política italiana, pois aqueles convidados a governar geralmente precisam de alguns dias para resolver os aspectos finais antes da posse.

O Irmãos de Itália, um partido herdeiro do pós-fascista Movimento Social Italiano, despontou na política do país como a única oposição ao governo de união nacional liderado por Mario Draghi desde fevereiro de 2021.

Meloni ainda terá que se submeter à aprovação das duas casas do Parlamento – Senado e Câmara dos Deputados -, mas trata-se de uma formalidade, já que a coalizão que ela integra tem maioria suficiente fazê-lo.

Por sua vez, a oposição contará com o progressista Partido Democrático, o populista Movimento Cinco Estrelas e o centrista Terceiro Polo, entre outras pequenas bancadas. EFE