Movimentos sociais da Venezuela demonstram em apoio a Lula

Caracas (EFE).- Movimentos sociais da Venezuela realizaram nesta quarta-feira em Caracas um ato de solidariedade ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após os protestos do último domingo, quando apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiram e depredaram o Palácio do Planalto e as sedes do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília.

Dezenas de cidadãos, com bandeiras da Venezuela e do Brasil, se reuniram na Praça Bolívar, em Caracas, para condenar o ataque às sedes dos três poderes da República e reiterar seu apoio a Lula.

Liderados por integrantes do Instituto Simón Bolívar pela Paz e Solidariedade entre os Povos, os participantes gritaram palavras de ordem como “A direita não vai voltar” e “O Brasil não está sozinho”.

O grupo rechaçou “categoricamente as intenções desestabilizadoras da paz e da democracia por parte dos bolsonaristas fascistas”, segundo mensagem do instituto publicada no Twitter.

Mais cedo, os representantes dos 34 países-membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) e seu secretário-geral, Luis Almagro, condenaram por unanimidade as ações “fascistas” no Brasil.

Em reunião extraordinária do Conselho Permanente da OEA em Washington, Almagro qualificou como “fascistas” e “golpistas” os atos promovidos por milhares de apoiadores de Bolsonaro. EFE