Número de refugiados no mundo passa de 103 milhões, aponta Acnur

Genebra (EFE).- Mais de 103 milhões de pessoas tiveram que deixar seus lares e fugir dentro ou fora de seus países, como deslocados internos ou refugiados, conforme divulgou nesta sexta-feira o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur).

De acordo com a agência, que apresenta dados até o fim de junho deste ano, o número representa alta de 15% na competição com um ano atrás e que uma em cada 77 pessoas no planeta sofre com esses deslocamentos, o dobro do que uma década atrás.

O relatório do Acnur aponta que a Síria é o país de origem do maior número de refugiados deslocados, com cerca de sete milhões, seguido da Venezuela (6,5 milhões) e Ucrânia (5,5 milhões), embora neste último caso, tenha ocorrido alta nos últimos meses, e a quantidade real chega a 7,7 milhões.

Afeganistão, Sudão do Sul, Birmânia e República Democrática do Congo são outros países com altas quantidades de deslocados e refugiados, segundo dados da agência da ONU.

A Turquia se mantém como o principal país de acolhida dessa população, com 3,7 milhões de pessoas, seguida por Colômbia (2,5 milhões), Alemanha (2,2 milhões), Paquistão e Uganda (1,5 milhão). EFE