Obrador confirma reunião com líderes latinos; Lula foi convidado

Cidade do México, 7 nov (EFE).- O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, confirmou nesta segunda-feira que se reunirá na Cidade do México com vários líderes latino-americanos, entre eles possivelmente o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, entre os dias 23 e 25 de novembro para discutir a questão da integração continental.

“No dia 23 (de novembro) virá o presidente (Gabriel) Boric (do Chile), no dia 24 virá o presidente (Alberto) Fernández (da Argentina). Estamos aguardando a confirmação do presidente Lula. Vem o presidente do Equador (Guillermo Lasso), vem o presidente do Peru (Pedro Castillo), vem o presidente da Colômbia (Gustavo Petro), mas são os dias 23, 24 e 25”, detalhou.

Embora a reunião tenha sido originalmente marcada no estado de Oaxaca, no sul do México, com os chefes de Estado da Aliança do Pacífico, que inclui México, Chile, Colômbia e Peru, o presidente explicou que o local mudará para a Cidade do México “por razões de logística”.

Também participarão da cúpula da Aliança do Pacífico o presidente do Equador e da Costa Rica, Rodrigo Chaves, que pretendem ingressar no bloco comercial. 

Há poucos dias, López Obrador havia explicado que o objetivo do encontro era tratar o tema da integração da América para a cooperação econômica com respeito à soberania de cada país.

Nesse sentido, o presidente mexicano reiterou agora que o sonho de Simón Bolívar de integrar a América, incluindo Canadá e Estados Unidos, deve ser perseguido.

Busca por integração

“É preciso buscar a integração econômica, comercial, política com respeito às soberanias dos países, essa é a abordagem que o México tem”, declarou López Obrador em sua entrevista coletiva matinal no Palácio Nacional.

Por outro lado, alertou que isso deve significar uma mudança na política dos Estados Unidos com a América Latina e o Caribe, embora admita que houve avanços positivos nesse sentido.

“É positivo que a vitória do presidente Petro na Colômbia tenha sido reconhecida sem demora, é positivo que a vitória de Lula também tenha sido reconhecida, é positivo que não haja uma ação intervencionista no caso do Peru”, considerou.

O presidente mexicano também destacou que é bom que os Estados Unidos estejam reiniciando as relações com a Venezuela, assim como as relações entre os governos colombiano e venezuelano estão sendo restabelecidas.

“Acho que é possível uma integração completa, (semelhante) à maneira como surgiu a Comunidade Europeia”, comparou.

“Desenvolvimento com justiça, em benefício de todos os povos, de todos os países para que a América não seja considerada ou se considere como um continente de desigualdade e pobreza”, acrescentou.

Por fim, López Obrador declarou que, com a recente vitória de Lula no Brasil, “há condições imbatíveis” para a união da região.

“Lula é um grande líder, com grande prestígio nos países da América Latina, do Caribe e do mundo. Além disso, as pessoas no Brasil o amam muito, principalmente as pessoas humildes, as pessoas pobres”, ressaltou. EFE