Papa diz que paz não se alcança pela força e pede fim da guerra na Ucrânia

Cidade do Vaticano (EFE).- O papa Francisco afirmou nesta terça-feira, após a Oração do Ângelus, na Praça São Pedro, que a paz não pode ser alcançada pela força ou violência e que nunca é obtida “derrotando alguém”, ao voltar a se manifestar pelo fim da guerra na Ucrânia. 

“Se nos fazem acreditar que a paz chega pela força  potência, para Jesus é o contrário. A paz não se alcança conquistando ou derrotando alguém, nunca é violenta, nunca é armada”, afirmou o pontífice.

Para o papa, “todos desejamos a paz, mas, no geral, o que queremos é estar em paz, que nos deixem em paz, que não tenhamos problemas, mas sim tranquilidade”.

“Jesus, por sua vez, não chama de bem-aventurados aqueles que estão em paz, mas sim, aqueles que fazem a paz, os construtores, os que trabalham pela paz”, garantiu o papa.

Francisco acrescentou que “de fato, a paz precisa ser construída e, como toda construção, requer compromisso, colaboração, paciência”.

“Como se tornar, então, alguém que trabalha pela paz? Antes de tudo, é preciso desarmar o coração. Sim, porque todos estamos equipados com pensamentos agressivos  palavras cortantes. Pensamos em nos defender com o arame farpado da reclamação e as paredes de concreto da indiferença”, disse o pontífice.

“A semente da paz pede que se desmilitarize o campo do coração”, completou Francisco.

No fim da Oração do Ângelus, o papa voltou a pedir que “não não esqueçamos da martirizada Ucrânia”, e que as pessoas orem para que o país alcance a paz. EFE