Pedro Sánchez é eleito presidente da Internacional Socialista por aclamação

Madri (EFE).- O presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, foi eleito nesta sexta-feira por aclamação como novo presidente da Internacional Socialista, cargo que assume com o objetivo de “agir” contra o “pessimismo que a direita e os movimentos reacionários pretendem promover em nível nacional e internacional”.

Na ausência de outros candidatos, Sánchez, de 50 anos, foi eleito sem necessidade de votação como novo presidente da Internacional Socialista para os próximos quatro anos, em substituição do ex-primeiro-ministro grego Yorgos Papandreu, durante a celebração em Madri do XXII Congresso desta organização, que reúne 132 partidos social-democratas, socialistas e trabalhistas de todo o mundo.

“Se há uma palavra que resume o que é ser socialista, social-democrata ou trabalhista é agir. Agir significa rebelar-se contra a resignação e dar motivos de confiança diante do pessimismo que a direita e os movimentos reacionários pretendem promover em nível nacional e internacional”, declarou Sánchez em seu discurso, no qual também reivindicou o papel da social-democracia no mundo. 

“Somos convocados neste Congresso para defender a social-democracia, revigorá-la e demonstrar a todos os cidadãos do mundo que a social-democracia é a única forma de alcançar sociedades mais justas”, acrescentou.

Sánchez, que se tornou o primeiro espanhol a presidir a Internacional Socialista, reconheceu que os últimos anos foram “tempos difíceis”, durante os quais “alguns se empenharam em considerar amortizados os nossos valores e os nossos próprios partidos, considerando-os como superados, dizendo que a nossa era uma ideologia do século XX”.

No entanto, acrescentou, a social-democracia, o socialismo democrático e o trabalhismo estão “mais vivos do que nunca” e são “mais necessários do que nunca na política global e nas políticas nacionais como um todo”.

O presidente do governo espanhol e líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) manifestou a intenção de fazer da Internacional Socialista “uma grande plataforma para o movimento progressista internacional”.

Fontes socialistas destacam que Sánchez pretende “relançar” esta plataforma para que tenha “mais força e mais influência” em organismos internacionais como a ONU.

Entre os grandes temas que pretende abordar enquanto presidente da Internacional Socialista, citou a igualdade entre homens e mulheres, o combate à “emergência climática” e o compromisso com uma economia “justa e inclusiva”.

Por sua vez, o até agora presidente da Internacional Socialista, Yorgos Papandreu, afirmou que Sánchez chega com “novas energias e novo compromisso” a uma organização que se beneficiará do seu “espírito apaixonado e dinamismo”.

“Você provou que é um líder forte em todas as suas lutas, consistente e capaz de equilibrar decisões e negociações difíceis”, opinou. EFE