Renomado fotojornalista da EFE, Martín Alipaz morre aos 57 anos na Bolívia

La Paz (EFE).- O renomado fotojornalista Martín Alipaz Aliaga, de 57 anos, morreu na segunda-feira em La Paz, na Bolívia, depois de uma longa luta contra um câncer.

Alipaz foi um dos primeiros fotógrafos do serviço gráfico da EFE na América Latina, onde seu trabalho se destacou pelo olhar especial com o qual captou a realidade de sua amada Bolívia e diversos eventos na região.

Nascido em La Paz, ele cobriu cada canto do país, mostrando sua rica cultura e curiosidades, como as cholitas escaladoras, um grupo de mulheres aymaras que ele acompanhou até o cume de uma montanha nevada onde elas jogaram futebol a mais de 5 mil metros de altitude.

Durante seus mais de 28 anos de profissão, nada escapou de suas lentes: conjuntura política, conflitos e esporte eram sua especialidade. Nem bombas de gás ou outros explosivos pararam seu trabalho. Suas fotos são inumeráveis, assim como suas coberturas.

Desde conflitos como o do gás, em 2003, quando ele foi ferido, até sua última cobertura dos confrontos envolvendo produtores de coca, em setembro do ano passado, são apenas uma amostra de um conjunto de trabalhos que ocuparam várias primeiras páginas dos principais veículos de imprensa internacionais.

Veículos, fotógrafos e jornalistas bolivianos dedicaram palavras, imagens e vídeos em homenagem a uma “lenda” que eles lembram como uma pessoa corajosa, leal e sensível.

Martín Alipaz deixa a esposa, Eva, e cinco filhos. EFE