Senado russo aprova tratados de anexação de regiões da Ucrânia

Moscou (EFE).- O Senado da Rússia aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, as leis de ratificação dos tratados de anexação assinados na semana passada pelo presidente do país, Vladimir Putin, com líderes das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhzhia.

Foram quatro votações que alcançaram total respaldo dos integrantes da casa parlamentar, um dia depois da Câmara dos Deputados também dar o sinal verde para os textos de anexação.

Os documentos foram apresentados aos senadores pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, que destacou que para Moscou não importa que o Ocidente não reconheça os referendos de incorporação dos novos territórios, mas que é preciso “entender a nova realidade”.

Antes das votações, a senadora Ludmila Narusova chamou a atenção para o fato “sem precedentes” da anexação de territórios que ainda estão sob o controle parcial da Ucrânia, o qu o presidente do Comitê de Legislação Constitucional, Andrey Klishas, respondeu, lembrando a aprovação do Tribunal Constitucional russo.

Detalhes da anexação

Com o sinal verde de hoje do Senado, a tramitação legislativa dos tratados de anexação fica concluída. Agora, resta que as respectivas leis sejam promulgadas por Putin.

Os textos indicam que o idioma oficial das novas regiões será o russo, embora seja permitido o uso do ucraniano; e a moeda nacional será o rublo.

Além disso, serão mantidos os nomes de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhzhia.

Os tratados foram assinados na sexta-feira por Putin e pelos quatros líderes regionais, sendo rechaçados pelo governo da Ucrânia, por Estados Unidos e União Europeia, assim como por aliados do Kremlin, como Cazaquistão, China, Turquia, entre outros. EFE