Zelensky apela por mais apoio militar em cúpula de grupo de países europeus

Riga (EFE).- O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, fez apelo aos participantes da chamada Força Expedicionária Conjunta, por mais apoio militar, em especial, de sistemas antiaéreos, artilharia e munição.

O pedido foi feito em Riga, na Letônia, onde acontece cúpula do grupo, que é liderado pelo Reino Unido e integra países europeus das regiões nórdica e báltica.

No encontro, Zelensky aproveitou para agradecer ao primeiro-ministro da Noruega, Jonas Gahr Store, pelo fornecimento de sistemas de mísseis avançados terra-ar, que segundo afirmou, reforçou de forma “significativa” a defesa ucraniana.

O presidente da Ucrânia, se dirigindo à ministra da Defesa da Holanda, Kajsa Ollongren, pediu que seja solucionada a questão da entrega de tanques e veículos encouraçados.

“Não há explicação sobre o motivo por não ter sido tomada a decisão de dar à Ucrânia tanques modernos e efetivos, em especial, Leopards”, afirmou o chefe de Estado, em referência aos equipamentos de fabricação alemã.

Zelensky, também fez apelo ao primeiro-ministro da Suécia, Ulf Kristofersson, e ao vice-premiê dinamarquês, Jacob Ellemann-Jensen, a quem pediu o fornecimento de obuses autopropulsionados.

Ao se dirigir ao primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, o líder ucraniano destacou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, é consciente de que não pode ganhar a guerra “no campo de batalha”, por isso, está buscando uma “escalada”, que terá consequências desastrosas para a população da Ucrânia.

O premiê britânico afirmou que os pedidos por um alto de cessar-fogo unilateral “carecem de sentido” e completou que não deve haver negociação até que a Rússia “tenha se retirado dos territórios ocupados”.  EFE