António Costa durante o evento em Matosinhos nesta segunda-feira. EFE/Fernando Veludo

Portugal se oferece como “ponta de lança” para acelerar acordo UE-Mercosul

Lisboa (EFE).- O primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Costa, se ofereceu nesta segunda-feira como “ponta de lança” para acelerar o acordo entre União Europeia (UE) e Mercosul, uma das prioridades que compartilha com o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

“O acordo UE-Mercosul é absolutamente estratégico”, disse Costa na presença de Lula durante a abertura de um fórum bilateral de negócios em Matosinhos, no Porto.

“O Brasil sempre pode contar com Portugal como ponta de lança para trabalhar para a conclusão, o mais rapidamente possível, do acordo UE-Mercosul”, insistiu Costa, que frisou a “grande determinação” de Lula em acelerar o acordo.

Ambos concordaram sobre o potencial de multiplicação da balança comercial entre Portugal e Brasil, que se situa agora em cerca de US$ 6 bilhões.

Brasil de volta

“Porque não chegar a US$ 10 bilhões? Queremos convidar empresários para se associarem a nós. O Brasil está pronto para se tornar novamente um país grande e importante, para ser um país atrativo, e quer construir políticas de parceria”, declarou Lula, que estabeleceu uma “meta” para multiplicar as trocas comerciais.

“Não queremos relações hegemônicas com ninguém, queremos construir uma parceria com empresas portuguesas” e “promover uma cooperação centrada no futuro, tecnologias, energias renováveis, mobilidade urbana e saúde”, disse o presidente brasileiro.

Costa também defendeu um aumento do investimento português no Brasil, especialmente nas áreas dos transportes, tecnologia, turismo, agricultura, aeronáutica e energias renováveis.

A cooperação aeronáutica é um exemplo das possibilidades que se abrem para ambos os países, que assinarão um novo acordo de parceria para produzir um modelo de avião da Embraer em Portugal.

“O Brasil está de volta a ser um protagonista internacional. Queremos dar um salto de qualidade”, disse Lula.

“Agora que o Brasil está de volta, nunca mais o deixaremos partir”, prometeu Costa.

O presidente brasileiro iniciou na sexta-feira passada uma visita oficial a Portugal, que terminará na terça-feira, com uma cerimônia no Parlamento. Depois de Lisboa, o petista viajará a Madri, a segunda parada na sua primeira viagem à Europa após assumir a presidência, com uma agenda marcada pelo acordo entre UE e Mercosul. EFE