Kremlin expressa apoio à Sérvia no contexto das tensões no Kosovo

Moscou (EFE).- A Rússia está monitorando atentamente a situação em torno do Kosovo, onde a minoria servo-kosovar mantém bloqueios de estradas por mais de duas semanas, e segue expressando seu apoio à Sérvia, garantiu nesta quarta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

“Temos laços estreitos de aliança, laços históricos, espirituais e outros muito estreitos com a Sérvia. A Rússia está muito atenta ao que está acontecendo lá, em como os direitos dos sérvios são garantidos”, disse o representante da presidência russa em entrevista coletiva .

Peskov enfatizou que Moscou “apoia Belgrado nas medidas que toma” e criticou as acusações de Pristina sobre a “influência destrutiva” da Rússia neste conflito.

“A Sérvia é um país soberano. E é totalmente errado buscar aqui qualquer tipo de influência destrutiva da Rússia. É natural que a Sérvia defenda os direitos dos sérvios que vivem em condições tão difíceis. E ela reage fortemente quando esses direitos são violados”, considerou.

A tensão entre Pristina e a população servo-kosovar e de Belgrado, que vem crescendo há meses, estourou com a prisão de vários policiais sérvios que deixaram a polícia kosovar em novembro.

Centenas de representantes sérvios retiraram-se das instituições do Kosovo depois que Pristina exigiu que a população servo-kosovar parasse de usar placas de carros emitidas pela Sérvia.

Na semana passada, o governo kosovar alertou que se a KFOR (força de paz internacional liderada pela Otan) não remover as barricadas sérvias na parte norte do país, suas forças de segurança assumirão a tarefa.

O primeiro-ministro kosovar, Albin Kurti, anunciou recentemente que solicitará um encontro com o comandante da KFOR, que defende uma solução negociada para a atual crise.

A comunidade internacional exige que os sérvios removam as barricadas, pelas quais Pristina acusa “quadrilhas criminosas instruídas por Belgrado”.

A antiga província sérvia do Kosovo, povoada por uma grande maioria albanesa, proclamou em 2008 sua independência, que a Sérvia ainda não reconhece. EFE