Biden destaca redução no fluxo de migrantes aos EUA com nova política

Cidade do México (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta terça-feira que, dias após a implementação da nova política migratória americana, o número de venezuelanos que tentam atravessar do México para os EUA foi reduzido “drasticamente”.

“Foi um programa bem-sucedido que tivemos para a Venezuela para proporcionar processos seguros, humanos e ordenados para aqueles que procuram asilo. Isto reduziu o número de pessoas que tentam atravessar a fronteira ilegalmente. O número de venezuelanos diminuiu drasticamente”, comentou.

Biden afirmou que antes da implementação da medida, cerca de 1.100 pessoas tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos todos os dias, “e isto desce para 250 por dia”, acrescentou.

Na entrevista coletiva concedida após a reunião trilateral entre México, EUA e Canadá, Biden agradeceu ao presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, por concordar em acolher aqueles que serão expulsos devido à política de imigração.

No início deste ano, os Estados Unidos implementaram uma nova medida com a qual receberá 30.000 migrantes de Venezuela, Haiti, Cuba e Nicarágua por mês, mas que o resto será expulso para o México.

O mandatário americano recordou que o objetivo agora é proporcionar processos “seguros, humanos e ordenados” para aqueles que procuram asilo nos EUA.

Biden reconheceu que os migrantes fazem uma “longa viagem” para chegar à fronteira e que são frequentemente vítimas do crime organizado.

“Queremos facilitar a chegada das pessoas, mas não queremos que elas passem por este terrível processo”, argumentou.

Um dia antes, na reunião bilateral com López Obrador, Biden declarou que a crise migratória na fronteira “já está bem encaminhada”, graças à colaboração do governo mexicano.

A nova política migratória do governo dos EUA chega após a detenção de 2,76 milhões de imigrantes indocumentados durante o ano fiscal de 2022, um número sem precedentes. EFE