No Uruguai, Lula defende acordo Mercosul-China após concluir pacto com a UE

Montevidéu (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que considera “possível” um acordo de livre-comércio entre Mercosul e China e se mostrou disposto a conversar com o país asiático – sobre essa iniciativa que promovida pelo Uruguai e que tem gerado atritos entre os países do bloco sul-americano – assim que concluir as negociações com a União Europeia por um tratado.


“Apesar de o Brasil ter na China seu maior parceiro comercial e de o Brasil ter um grande superávit com a China, nós queremos sentar enquanto Mercosul e discutir com nossos amigos chineses um acordo Mercosul-China”, declarou Lula em pronunciamento ao lado do presidente do Uruguai, Luis Alberto Lacalle Pou, em Montevidéu.


Nesse sentido, defendeu a posição do Uruguai em promover esse possível acordo e disse que “são mais do que justos” os pleitos do país vizinho em sua intenção de defender sua economia e seu povo.

“É justo querer produzir mais e querer vender mais e, por isso, é preciso se abrir o quanto mais possível para o mundo dos negócios”, acrescentou.

Além disso, destacou que o Brasil concorda com as ideias de inovação e abertura do Mercosul, razão pela qual também se referiu ao acordo de livre-comércio com a União Europeia.

Acordo com a União Europeia

“Disse ao presidente Lacalle e aos meus ministros: vamos intensificar as discussões e firmar este acordo com a União Europeia para que a gente possa discutir em seguida um possível acordo entre China e Mercosul, e acho que é possível”, afirmou.
Por sua vez, Lacalle Pou expressou sua satisfação com o apoio do Brasil ao “aprimoramento do Mercosul” e insistiu na necessidade de seu país “se abrir para o mundo”.

“Tentar fazer com todo o Mercosul, basicamente. Acho que entendo perfeitamente que o Uruguai está com suas tratativas e não tem nenhum impedimento em informar o que vem fazendo e negociando”, declarou o governante uruguaio.
Nesse sentido, antecipou que os dois países vão criar uma equipe técnica para ver o que “querem e precisam” na relação com a China.

Além do Mercosul, Lula e Lacalle Pou discutiram questões de infraestrutura como a hidrovia Laguna Merín-Lagoa dos Patos entre o sul do Brasil e o nordeste do Uruguai, além da Ponte Internacional Barão de Mauá e o aeroporto binacional de Rivera.