Otan: “falsos referendos” na Ucrânia violam direito internacional

Bruxelas (EFE).- O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou nesta terça-feira que os “falsos” referendos de integração com a Rússia convocados nos territórios da Ucrânia controlados pelas forças russas no leste e sul da ex-república soviética não têm legitimidade e são uma “flagrante violação do Direito Internacional”.

O político norueguês fez tal observação sobre os referendos realizados pela Rússia após conversa com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

“Os falsos referendos realizados pela Rússia não têm legitimidade e são uma violação flagrante do Direito Internacional. Estas terras são da Ucrânia”, escreveu Stoltenberg em seu perfil no Twitter.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg (d), e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. EFE/Arquivo/Stephanie Lecocq

Otan mantém apoio à Ucrânia ante referendos

O secretário-geral da organização transatlântica acrescentou que, durante sua conversa com Zelensky, “deixou claro que os aliados da Otan são firmes em seu apoio à soberania e ao direito de autodefesa da Ucrânia”.

Mais de 97% dos eleitores nos referendos nos territórios ucranianos controlados pelas forças russas no leste e no sul apoiaram a anexação à Rússia, de acordo com os primeiros resultados das autoridades pró-russas, segundo os primeiros dados da contagem parcial da votação divulgada hoje.

Moscou adiantou que está preparada para anexar esses territórios ucranianos ao país após os resultados dos referendos. EFE