Repórter nos EUA protege microfone com camisinha

Miami (EFE).- Uma repórter de televisão no sul da Flórida virou assunto em redes sociais durante uma transmissão ao vivo nesta quarta-feira, enquanto o furacão Ian chegava à costa oeste do estado, por cobrir o microfone que utilizava com uma camisinha para “proteger o equipamento”.

Kyla Galer, repórter e apresentadora da “NBC2”, canal local da rede em Fort Myers, onde Ian tocou o solo nesta quarta-feira, transmitia ao vivo em um ambiente externo com um preservativo cobrindo o microfone. Vários telespectadores começaram a enviar mensagens à jornalista nas redes sociais após verem a cena.

Galer reportava sobre a chegada de Ian de um estacionamento em Fort Myers, na área onde o poderoso furacão de categoria 4 tocou o solo, quando os espectadores foram “distraídos” pela cobertura de borracha no microfone.

Depois da repercussão, a jornalista respondeu nos seus perfis no Instagram e no Facebook.

“Muita gente pergunta o que está no meu microfone. É o que vocês pensam que é, um preservativo. Ajuda a proteger o equipamento. Não se pode molhar estes microfones. Há muito vento e muita chuva, por isso temos de fazer o que temos de fazer, e isso é colocar um preservativo no microfone”, explicou.

O jornalista Jeff Butera, da “ABC7”, que também estava cobrindo a chegada do furacão, comentou o caso no Twitter.

“Praticamos a notificação segura de furacões. Sim, é um preservativo. Nada melhor para impermeabilizar um microfone. A minha colega da Waterman Broadcasting Kyla Galer tem respondido muitas perguntas, haha. Momento de leveza nesta tempestade desagradável”, analisou.

O poderoso furacão Ian tocou o solo nesta quarta-feira na costa oeste da Flórida com fortes ventos, e ainda são esperadas inundações e tempestades “catastróficas”. EFE