Putin fala em “graves consequências” se preço do petróleo russo for limitado

Moscou (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, advertiu nesta quinta-feira sobre “graves consequências” se as potências ocidentais introduzirem restrições no preço do petróleo da Rússia.

Durante uma conversa telefônica com o primeiro-ministro do Iraque, Mohamed Shia al-Sudani, Putin enfatizou que “tais ações contradizem os princípios que regem as relações de mercado e muito provavelmente terão graves consequências para o mercado global de energia”.

Putin e Sudani debateram os planos do Ocidente e o trabalho de Rússia e Iraque no âmbito das reuniões da aliança da Opep+ para garantir a estabilidade do mercado de petróleo.

A Rússia tem advertido reiteradamente que não fornecerá petróleo aos países que adotam tais limitações e tem previsto grandes problemas para as populações deles durante o inverno.

Além disso, de acordo com seu governo, também pode tomar medidas de retaliação, como a redução da extração de 530 milhões de toneladas neste ano para 490 milhões de toneladas em 2023.

Os governos da União Europeia não conseguiram chegar a um acordo na quarta-feira sobre um limite de preço para o petróleo russo que as potências do G7 querem impor a Moscou como uma sanção pela guerra na Ucrânia.

O limite de preço não afeta diretamente a UE, que já decidiu proibir as compras de petróleo bruto russo a partir de 5 de dezembro (exceto as do oleoduto aproveitado pela Hungria), mas prejudicaria os navios de carga que o transportam, alguns dos quais de bandeiras de Grécia, Malta e Chipre. EFE